São Lourenço do Sul é o primeiro município da região a implementar o Criança Feliz

 

Lançado em outubro de 2016, o programa Criança Feliz reforça o marco legal da primeira infância e promove o desenvolvimento integral das crianças nos primeiros anos de vida, considerando sua família e seu contexto social. São Lourenço do Sul foi a primeira cidade do Estado a implementar o programa.

Na terça-feira (22) aconteceu no CRAS Esperança a cerimônia de posse dos 7 novos visitadores e supervisor do Programa Criança Feliz/PIM. Nesta ocasião, o prefeito Rudinei Härter ressaltou a importância de investir na infância, para gerar mais qualidade de vida e cidadãos melhores no futuro. O programa irá beneficiar no total 397 famílias identificadas no Programa Criança Feliz, e destas, 165 já estão em atendimento no PIM. 

Participaram da ocasião as famílias assistidas pelo programa, o prefeito Rudinei Härter, secretários e as suas equipes de trabalho das áreas que abrangem o projeto (Saúde, Desenvolvimento Social, Educação e Gabinete), diretora do Departamento de Ações em Saúde, Eliedes Freitas de Pelotas,  e a sua coordenadora do PIM, Maria de Lurdes Botelho, Mario Luiz Correa representando o vereador Dari Pagel, e o vereador Adrean Peglow. 

A coordenadora pedagógica, Fatima Armesto, fez a leitura de um poema que compôs, sobre a visita dos anjos, onde um trecho diz: “Ser visitador PIM/Criança Feliz é bem assim... É levar na mochila e no olhar, a melhor forma de cuidar daqueles que serão o bálsamo de nosso futuro. A semente do trigo mais puro, que nasce no brotar desta geração.”  Os visitadores receberam na ocasião a mochila para o trabalho e o certificado de conclusão do curso de capacitação realizado.

 Durante a cerimônia, a usuária Mara Rejane, apresentou a sua experiência, onde contou que quando seu filho possuía um ano e alguns meses, tinha dificuldade de andar e falar, e a visitadora foi essencial para o desenvolvimento da criança. Mara ressaltou: “eu sou muito grata, só tenho a agradecer ao programa”.

 

 

O público alvo do programa são: gestantes, crianças de zero a três anos e suas famílias, beneficiarias do Bolsa Família, crianças com deficiências, de até seis anos, que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), incluindo as vítimas de microcefalia por zika vírus; e a criança de até seis anos, afastada do convívio familiar em razão da aplicação de medida de proteção.

Os visitadores realizarão visitas domiciliares as famílias identificadas para o programa nos bairros do território do CRAS: Camponesa, Kraft, Nova Esperança, Santa Terezinha, Fiorame, Banhado Grande, Avenida e no interior do município, atendendo as famílias da zona rural.